13 de set de 2008

Que tal uma colcha de 90 anos???



Oi pessoal... Agora sim,com 24 horas de atraso vim fazer minha postagem pelo dia do crochê.. hehehehe

Afinal, comentei tanto sobre o assunto e incentivei tanto, que ficaria sem graça eu mesmo não postar.

E desde já quero dizer que foi muito legal o preparar desse post. Uma vez que exigiu de mim cuidado, zêlo, interesse e dedicação. Não somente trazendo as fotos do trabalho mas também buscando saber o texto e o contexto da peça.



Essa colcha que trouxe aqui foi feita por minha bisavó, e tem nada menos que 90 anos (se minha bisavó fosse viva estaria com 110 anos, mas morreu com 101...). Ela fez a colcha como parte do enxoval de casamento. E a guardou por muitos anos, e antes de morrer deu de presente para uma sobrinha.

E eu creio que não haveria algo melhor para demonstrar nesse dia, do que um trabalho feito por alguém de minha própria família. Alguém que serviu de inspiração e modelo para que outros também usassem suas respectivas habilidades.



Enquanto estava tentando conseguir a colcha e depois que fui tirar as fotos, pude meditar bastante sobre como a vida é fantástica. Imaginem uma moça de 20 anos confecionando uma colcha em crochê. Ainda solteira. Quem diria que aquela jovem artesã logo se casaria, teria filhos, netos, bisnetos, e que viveria até os 101 anos?

Esse é um dos lados mais belos e incríveis da vida... Construir algo a princípio para nós mesmos, mas que pode ser de nossa posteridade.

Nós somos como um agricultor que tem como seu objetivo plantar. Ele prepara a terra e vai lançando as sementes. E aí começas vários períodos até a colheita. Os resultados vão depender de muitos fatores. Pode a terra não vingar como se esperava. Pode vir um mau tempo que impeça o sucesso esperado na colheita. Pode faltar o investimento exterior que é tão importante. E as vezes o fruto daquela colheita pode não ser desfrutado pelo próprio agricultor.



Mas o importante é lançar as sementes e confiar que os frutos virão. Viver cada momento como sendo único, e impregnar nossa vida da nossa personalidade.

Não sabemos quantos anos vamos viver, se teremos filhos, ou se alcançaremos bisnetos. Se vamos comemorar os "80 ou 100 anos" junto de uma numerosa descendência.

O importante é fazer a diferença. Em cada momento e detalhe.

E a essência do crochê é a mesma do exemplo do agricultor que citei. É a mesma essência da vida.



Temos a capacidade de imortalizar nossos talentos através de nossos trabalhos e criações.

Quando confeccionamos uma peça estamos confeccionando a nós mesmos... E quando damos de presente, vendemos, ou agradamos alguém com um trabalho nosso, estamos doando um pouco de nós. Estamos dizendo: "Meu talento é visível... Qnd alguém ver esse trabalho verá a mim também."

A colcha não é somente um trabalho de minha bisavó... Mas é ela mesma imortalizada através de uma peça de crochê. São seus talentos, seus sonhos, sua dedicação.

Meus parabéns a todos talentosos, dedicados e imortais crocheteiros!!!

Um grande abraço com todo meu carinho

E que tenham um ótimo fim de semana com paz, alegria e momentos únicos e intensos junto de suas famílias. xD

Cauê Santos

25 comentários:

Gaby disse...

Nossa Cauê,mt lindo o que escreveu sobre o nosso dia..e essa colcha é maravilhosa! Pelo idade,pelo trabalho e por quem fez..parabéns!

Um bjo bem grande e FELIZ DIA INTERNACIONAL DO CROCHÊ! mesmo que atrasado..rss

Tenha um excelente fds em Deus!

Gaby.

Márcinha França disse...

Cauê, boa noite!
Faço minhas, as palavras da amiga Gabi!!!!
Parabéns!Pela história familiar linda!
Sua vózinha, deveria ser uma senhorinha muito fofa!
Feliz dia do crochet!Atrasado!
Se bem, que todo dia é dia!

Que seu final de smn, seja muito excelente!
Fica com Deus!
Márcia França

P.S.:Sua blusa ficou lindona!!!!!!!

Casa Oficio disse...

Oi amigo
Que maravilha a colcha e a história da mesma!!!
Como é bom passar por aqui e ler tuas mensagens...hoje está conseguindo acalmar um pouquinho a angústia e tristeza pela qual estamos passando.
Beijãooooooo

Sônia Maria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Inez, como no tempo da vovó disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Inez, como no tempo da vovó disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Inez, como no tempo da vovó disse...

Querido, brincadeiras á parte, e, agora que estou convicta que vc não é um et, não é um fake, nem muito menos uma mulher disfarçada, venho até aqui dizer que Deus sabe o que faz e no seu tempo.
Vc entrou na minha trajetória de vida e espero que sejamos grandes amigos, pq amo pessoas inteligentes, com mentalidade expansiva, e centradas
Sou uma pessoa alegre, por vezes debochadinha, mas tenho um coração imenso. Tenho meus pensamentos, e, para me convencer tem que ter fundamento, não me deixo levar por palavras ao vento. Creio muito em Deus e detesto fanatismo. Acho que Deus dá o tempo e nós não temos que precipitar nada. Mas confesso, sou anciosa e estou trabalhando isso. Meio conflitante, creio no tempo de Deus, mas sou anciosa. Porém quem sou eu para entender o ser humano, não posso explicar esse conflito, mas tento conviver com ele e me pego, por vezes, me controlando, por vezes em plena liberdade de expressão. Por isso, espero não tê-lo assustado com minha brincadeira (acho que não devido a sua reação). Pode ter certeza que virarei assídua frequentadora do seu blog
mil bjs
Inez Barbosa

Ps ando um pouco cega, acho que é a ingratidão da idade, mas não vi meu blog linkado no seu, terei que procurar um oftalmo
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
outra coisa, muito bom saber que existe uma colcha muito mais velha que eu
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
e por sinal lindíssima.
Obrigada por colocar esse sentimento vil em meu ser (que invejaaaaaaaaa)
mais bjs além dos mil

Nile e Richard disse...

Olá amiga.Bom dia.Muito bonita a colcha.Gostei de ler suas sábias palavras.bjtos.Nile.

Celia disse...

Olá ! Essa é a primeira vez que visito seu blog.Parabéns pela coragem em assumir essa tarefa de artesanato que infelizmente ainda é considerada"coisa de mulher", e pelo casaco postado anteriormente vc faz com perfeição.Dizem que habilidade é hereditária, e parece que vc relmente herdou essa habilidade.A colcha da sua avó é linda.Um grande abraço carioca.

disse...

Oi, Cauê!
Adorei a colcha e as sábias palavras.
Virei sempre que vir atualização dos seus trabalhos.
Felicidades na arte de crochetar e demais artes, até pq bem viver é a maior arte da vida.
Bom domingo.
Bjs.
Dô.

gosto pelas artes disse...

OI CAUÊ, ADOREI A COLCHA MUITO LINDA, PARABENS PELO POST, APAREÇA P ME VISITAR, BOM FIM DE SEMANA.

Luciana disse...

Oi!!!

Tem um mimo pra você no meu blog!!!
Passe por lá e pegue o seu.

Beijos
Lu
www.linhaecia.blogspot.com

Márcinha França disse...

Boa tarde!
Cauê, não é colcha não, o q está por baixo do sachê e do cravo, mas pode ser tbm; já q é de square!
É minha toalha de mesa, q ainda estou fazendo, mas como ñ sou disciplinada, começo muitos crochês ao mesmo tempo, assim, sempre tem um acabando e outros pela metade..rsrs!
Adoro suas visitas, seu trabalho!
Tenha boa semana!
Bjos!
Márcia França

Obs.:Meu esposo tbm é "Santos", quem sabe são parntes distantes!

CORTEYGRIF disse...

Ola Cauè
Primeiro quero lhe dar os parabens,por mais um crocheteiro assumido,acho muito lindo que esta arte tambem encante aos homens,conheci o Richard,agora voçe e acredito que muitos mais virao,para alem de uma arte è uma terapia gostosa.
Essa historia da sua bisavo muito linda,tenho certeza que ela na sua imortalidade esta bem feliz com seu jesto,obrigada por partilhar essas lindas palavras conosco,è um trabalho lindissimo!
Essa blusinha meia estaçao è muito linda mesmo,voçe è um artista parabens,e muito sucesso!
bjs
ROSA

Inez, como no tempo da vovó disse...

Adorei seu relato e o mais importante é o seu jeito Polianna de ser. Gosto disso pq tb sou assim. Acho que tudo tem um propósito, basta sabermos ler nas entrelinhas. Sou muito positivista e as vezes acham que é exagero. Hum... não acho...
Se a gente ficar só vendo tudo escuro, tudo ruim, nossas vidas ficam um tédio.
Agora, vc não precisa ter nenhuma pressa em dizer o quanto gosta de mim, pretendo viver muiiiiiiiiiiiiittttoooooooooooo
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Pensando bem, precisa sim, senão acabo morrendo de ansiedade.
Saiba querido, (sei que já disse isso) que adorei muito vc. E quando digo que gostei, gostei mesmo, sem babação.
Agora, veja minha colcha de solteiro, um pouco parecida com a da sua avó.
Estou fazendo outra bolsa de aro de garrafa pet(vc viu a branca que fiz e postei?) que está ficando linda (ah eu acho tudo que faço lindo, não por exibicionismo, mas pq fico encantada com o resultado do que com uma simples agulha e linha podemos fazer).
Cauê, aqui no Rio está um frio de lascar, fico pensando... e ai? Caramba, deve estar geando.
Bom por hj chega, pq pude observar que escrevo demais e bobear, só tera post meu aqui, ai assusto suas outras amigas rsrsrsrs
mil bjs
Inez Barbosa

Karen disse...

Olá Caue
Achei seu blog através do blog da Camila e simplesmente achei o máximo !
Você faz trabalhos lindos, escreve muito bem - esse texto sobre a colcha que a sua avó fez está fantástico !
Adorei o seu blog, você parece ser uma pessoa muito otimista e positiva !
Estou te adicionando nos meus blogs favoritos, ok ?

Bjos

ANA MARIA disse...

HOLA CAUE,ENCANTADA SOY ANA TE ESCRIBO DESDE SEVILLA-ESPAÑA,Y HACE POCO ABRI MI BLOG PARA COMPARTIR MIS TRABAJOS Y HACER AMISTADES,ANTE TODO FELICITARTE POR COMO ESCRIBES,LUEGO POR TUS TRABAJOS,SON BIEN BONITOS,
ESPERO QUE PASES POR MI BLOG,SERAS BIEN RECIBIDO,TE PONDRE EN MI LISTA PARA VISITARTE MAS A MENUDO
CON MUCHO CARIÑO ANA.

ANA MARIA disse...

perdona soy otra vez yo,te deje un desafio con mucho cariño en mi blog
saludos ana

Inez, como no tempo da vovó disse...

Amigo,
vc tem que postar outra coisa, pq senão o que vão pensar?
que não largo do teu pé
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Bem vim explicar o Jeito Pollyanna de ser
Polllyana é um livro muito lido por adolescente, linda narrativa
dise que teu blog tem o jeito Pollyanna de ser pq
é como diz Pollyanna: "Muitas vezes me acontece de brincar o jogo do contente sem pensar, a gente fica tão acostumada que brinca sem saber. Em tudo há sempre alguma coisa capaz de deixar a gente alegre; a questão é descobri-la."

Pollyanna de Eleanor H Porter

Trata-se da história de uma menina de onze anos, filha de um missionário pobre, que após ficar órfã, vai morar em outra cidade com uma tia rica, rígida e severa, à qual não conhecia previamente. Pollyanna ensina às pessoas de sua relação na nova comunidade o jogo do contente, que havia aprendido com seu pai no dia em que esperava ganhar uma boneca e recebeu um par de muletinhas. Seu pai lhe explicou que não existia nada que não pudesse ter dentro qualquer coisa capaz de nos fazer contentes, e ela então ficou contente por não precisar das muletinhas. E depois desse dia, criou o jogo de procurar em tudo que há ou acontece, alguma coisa que a faça contente, e o ensina sempre que encontra alguém triste, aborrecido ou mal-humorado.


Então, vc é assim, está sempre tirando o lado bom das coisas, assim te senti

mil bjs amigo
Inez Barbosa

Denise disse...

Oi, Cauê!
Parabéns pelo blog! Vc é bastante inspirado. Amei a colcha de sua bisa. Muita saúde, paz e luz sempre!

Amparo Paredes disse...

HOLA AMIGO,AS SUAS PALAVRAS A MI
CHEGAR AL FONDO DEL MIO CORAZÓN,
PALAVRAS CON MUITO SENTIMIENTO,VC
ES UMA PERSONA CON UN CORAZÓN DE OURO,A SUA FAMILIA FICAR ORGULLOSA DE VC,EU FICAR MUITO EMOTIVA.
A COLCHA DE A SUA BISABUELA E LINDA
MUITOSSSSS ANOS E BONITO TENER COISAS ANTIGAS DE NUESTROS QUERES
AMADOS.
UM FORTE ABRAÇO AMIGO.
PARABENSSSSSSSSSSSSSSSS............

Maura morenna disse...

Oi Cauê, saudade de ler as coisas lindas e inspiradoras que vc posta em seu blog. E como se não bastasse isso, ainda ver peças lindas confeccionadas por vc. Estive passeando por alguns dias mas ja estou de volta visitando os amigos. Beijos.

Joana disse...

Oi Cauê!
Fiquei emocionada com o que você escreveu sobre a tua bisavó, a tua família, a tua história de vida. É lindo saber que existem pessoas com tanto sentimento e com talento para expressar isso de uma maneira tão singela. Parabéns pra voce e pra tua bisa, de quem você herdou o talendo, que tá lá no céu, que é o lugar para onde vão todas as crocheteiras e crocheteiros. Coloquei teu link que é para não correr o risco de perder nada do que você postar.
Beijos
Joana

isabel tiago disse...

Linda a colcha feita pela sua bisavó. Digna de figurar num museu para não se perder a obra.

Eunice Martins disse...

Seu carinho ameniza minha dor,
suas palavras são notas musicais
tocando suavemente meu coração.

Sua presença,
é a luz do sol aquecendo minha'lma.
Sua amizade, um presente valioso,
uma planta rara que cultivo com muito carinho

Obrigada, você já faz parte da minha vida
"Amo você "

DESEJO-LHE UMA SEMANA CHEIA
DE MUITAS ALEGRIAS.
BEIJOS COM CARINHO.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...